Entenda a Alienação Fiduciária

Para que serve a alienação fiduciária?

Neste artigo, vamos explicar o que é a alienação fiduciária e como ela pode te ajudar na hora em que precisa de um valor mais alto, porém mais rápido.


Navegação:


O que é a Alienação Fiduciária?

Alienação Fiduciária é uma modalidade contratual em que um imóvel ou móvel é colocado como garantia, transferindo temporariamente este ao depositante, em troca de um empréstimo.

Essa é uma forma lícita e moral de dar garantias ao credor sobre o pagamento deste empréstimo. Por isso, até que a dívida seja quitada este imóvel ou móvel fica contratualmente sob a posse da instituição que disponibilizou o recurso ao devedor fiduciante.

O que é o devedor fiduciante?

O devedor fiduciante é aquele que solicita o empréstimo ou financiamento.

Qual a vantagem da Alienação Fiduciária?

A maior vantagem desta modalidade é a menor taxa de juros e – no caso da Galleria Bank – a velocidade na obtenção de uma alta quantia de dinheiro.

O juros mais baixo acontece por conta da garantia sólida que o imóvel ou móvel proporciona, sendo uma grande vantagem tanto para o bom pagador, quanto para o credor.

Na Galleria trabalhamos apenas com imóveis.

Devo sair do imóvel quando o coloco em garantia?

Não!

O imóvel deve estar livre para a utilização do fiduciante. Isso é garantido 100% em lei.

Qual a lei que permite este tipo de garantia?

A Lei nº 9514/97 é quem garante a licitude deste contrato de empréstimo, tanto para pessoa física quanto jurídica.

Também é ela que garante a livre utilização do bem.

Para exemplificar: quando você está financiando um carro ele fica no nome do banco, porém o uso é 100% seu.

No atraso do pagamento, o devedor fiduciante perde o imóvel?

Existe uma margem de negociação, de acordo com o contrato, sendo o pedido do processo de recuperação utilizado apenas em último caso, não pegando o fiduciante de surpresa.

O objetivo de quem empresta dinheiro é ganhar no preço dele (juros), não na recuperação da garantia. Esta é utilizada apenas em caso final.

A quitação

Quando o devedor fiduciante paga a última parcela do empréstimo, o imóvel volta ao seu nome, quitando a alienação.

A partir deste momento, o proprietário pode solicitar outros empréstimos com garantia de imóvel na instituição financeira que desejar.